quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Leitor Ítallo Philiphe responde a colaborador do blogue

Resposta para postagem anterior:

Respeite os moradores do estado de Goiás , seu povo, sua cultura, sua música, suas raízes, seus costumes, suas tradições!

Se você não gosta de música sertaneja, é seu direito de não gostar, agora denegrir a imagem dos goianos através disso é demais e chamar de Terra Improdutiva é uma piada.

Nosso estado é o líder em aumento de vagas de emprego no Centro-Oeste, e um dos que mais vem recebendo trabalhadores de outros estados por causa do agronegócio, das usinas de álcool e biodiesel, turismo, confecções, laboratórios , etc…

Nosso estado é referência na América-LAtina no ramo de produtos e medicamentos de laboratórias através de nosso polo de Anápolis que tem os Laboratórios TEUTO, NEOQUÍMICA e GEOLAB, além de outras marcas que você já deve ter se medicado algum dia, dentre outras qualidades, que temos…

Assim, temos problemas, como qualquer outro estado da Federação e não aceitaremos que pessoas que se escondem por trás de seu anonimato venham a falar mal dos Goianos! Visitem nosso Estado. Verás que nossa capital é limpa, tem uma das melhores qualidades de vida do Brasil, Goiânia é a 2ª cidade no mundo em quantidade de áreas verdes (só fica atrás de Edmonton(CANADÁ), e nossa capital é uma cidade ecologiamente correta dentre outras qualidades…

Venham a Goiânia e verás que nosso povo, além de educado, humilde e simples, é hospitaleiro e respeitam não só nossas origens e tradições como as dos outros!

Ítallo Philiphe – Goiânia / GO
terça-feira, 26 de agosto de 2014 23:02:00 BRT

P.S: A postagem anterior não é anônima e nela não é encontrado o termo "Terra Improdutiva". Fora isso, vale a resposta e uma justa publicação na área de comentários e em nova postagem.

sábado, 16 de agosto de 2014

'Nheengatu' é o grande CD de 2014. Até agora

Os Titãs lançaram aquele que é até agora o grande CD de 2014 e sério candidato a melhor disco do ano. Nheengatu também é o melhor CD da banda lançado depois do Titanomaquia, de 21 anos atrás (resenha para Titanomaquia aqui). Nheengatu e Titanomaquia formam junto com Cabeça Dinossauro uma trilogia. Talvez ninguém tenha reparado. Talvez os Titãs já tenham percebido ou perceba um dia, já que a banda está prometendo tocar Nheengatu ao vivo na íntegra no próximo sábado no Circo Voador, se a plateia demonstrar todo o entusiasmo que o público tem mostrado nas demais apresentações da atual turnê. Os Titãs já tocaram Cabeça Dinossauro inteiro, chegando a gravar um CD/DVD/blu-ray ao vivo com todas as faixas do vinil de 1986.

Nheengatu resgata e atualiza o estilo ácido, pesado e cru que a banda adquiriu a partir do Cabeça Dinossauro. É também um CD influenciado por sons brasileiros, marca que os Titãs conseguiram manter até mesmo em discos inferiores, como Domingo. Há quem comente que o guitarrista Tony Bellotto é o grande responsável pela sonoridade de Nheengatu.

A banda resolveu fazer um panorama do caos do mundo atual. Aborda vários temas: pedofilia, violência policial, violência doméstica contra as mulheres, pobreza e intolerância sexual, racial e social.

Nheengatu faixa a faixa

1 - Fardado - É uma faixa que disserta sobre a violência cometida por vários policiais durante as manifestações de rua no ano passado. Uma abordagem muito diferente da faixa Conflito Violento, também uma faixa de abertura, mas do CD Século Sinistro, que os Ratos de Porão lançaram também neste ano. Só que, enquanto os Ratos preferem apoiar totalmente os black blocs, os Titãs preferiram chamar os policiais violentos pro mesmo lado. "Você também é explorado, fardado!", diz a música dos Titãs. Como integrantes da banda disseram no programa Encontro com Fátima Bernardes (Rede Globo) serem contra o vandalismo nas manifestações, os Titãs foram acusados por desafetos de defender uma "anarquia institucionalizada".

2 - Mensageiro da Desgraça - História de um sujeito bastante pobre que conta suas desventuras enquanto caminha pelas ruas de São Paulo.

3 - República dos Bananas - Ska bem humorado, semelhante a músicas dos CDs Domingo e A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana.

4 - Fala, Renata - Uma música sobre pessoas que falam demais. Pela repetição de palavras, lembra muito algumas músicas do ex-integrante Arnaldo Antunes.

5 - Cadáver Sobre Cadáver - Praticamente uma marcha sobre a vida e a morte. Mais sobre morte do que sobre vida. "Quem vive, sobrevive" é a frase que resume a música toda. A melhor faixa do disco. Deve estar provocando momentos épicos nas apresentações ao vivo da banda.

6 - Canalha - A única música não autoral do disco. Foi composta por Walter Franco, um dos grandes compositores e cantores alternativos da história da música brasileira.

7 - Pedofilia - As distorções da guitarra de Tony Bellotto prenunciam todo o absurdo do problema abordado pelos Titãs. Aqui a banda preferiu fazer uma abordagem a partir do ponto de vista das vítimas de pedofilia. Chegando a citar o sentimento de culpa das vítimas, mesmo sem terem culpa alguma.

8 - Chegada ao Brasil (Terra à Vista) - Versa sobre a chegada dos colonizadores ao Brasil, em séculos passados, e tudo que esta terra tinha na época. E até coisas que só teria no futuro ("Tem palmeiras, sabiás, mulatas ainda não").

9 - Eu Me Sinto Bem - O segundo ska do disco é a única que segue aquela linha de "músicas de autoajuda" dos discos que a banda fez entre Domingo e Como Estão Vocês?.

10 - Flores Para Ela - Música sobre a violência doméstica contra as mulheres.

11 - Não Pode - Outra música com repetição de palavras, esta cheia de nãos e coisas não permitidas.

12 - Senhor - Aqui temos uma longa profissão de fé dos Titãs, em oposição a dízimos, ofertas e santos de outras crenças. "Querem meu dinheiro / Querem meu salário / Um santo no espelho / Uma sombra no armário".

13 - Baião de Dois - Música profundamente influenciada pela música nordestina, mas com letra cheia de palavrões, bem ao estilo Titãs.

14 - Quem São os Animais? - A faixa de encerramento de Nheengatu faz a defesa da tolerância sexual, racial e social. "Você tem que respeitar o direto de escolher livremente" e "Você tem que respeitar o direito de ser diferente" são versos que acabam resumindo o disco inteiro.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Apesar do rock nacional, rock não é necessariamente de esquerda

Fonte: Facebook.

Luciano Geronimo

Rock é coisa de esquerdoso.

"Rock é coisa de esquerdoso"? Elvis Presley, Neil Young, Joey Ramone e Dave Mustaine não concordariam com isso.

Marcos Vinicius Mesquita

Entre outros. A cena nacional ser dominada por idiotas esquerdosos não significa que o Rock seja. Tai Roger e Lobão pra contrariar.

Pois é. A cena do rock nacional é historicamente dominada pela esquerda caviar. A cena oitentista (a mais bem sucedida) está à frente. Herbert Vianna é lulista assumido. Nasi é filiado do PC do B. Frejat participou da derrotada proposta do SIM no plebiscito sobre a proibição de venda de armas e munição. O Capital Inicial continua naquela onda adolescente de voto nulo enquanto Dinho ostenta símbolos esquerdistas nas camisetas. Cazuza compôs Burguesia, apesar de ter recusado proposta do PT para usarem a música na campanha de Lula de 1989 (talvez Cazuza fosse simpatizante da ultraesquerda, que daria em partidos como PSOL e PSTU). Leoni andou escrevendo umas bobagens, ultimamente. E TODO o punk rock brasileiro está comprometido até a medula com a esquerda.

Mas há exceções. Renato Russo assumiu ser capitalista. João Barone andou batendo boca com governistas na Internet. Paula Toller pediu votos para Geraldo Alckmin no Circo Voador em 2006. E tem os casos mais notórios de Lobão, Roger Moreira e Leo Jaime.

Falando no Dave Mustaine, não sou de comprar discos do Megadeth, mas fiz questão de comprar um: o United Abominations. O disco é demolidor. Só a arte gráfica e a faixa-título valem mais que tudo o que a esquerda caviar gravou ao longo deste século e do século passado.

Marcos Vinicius Mesquita

Dos álbuns recentes do Megadeth o "united" e digno de nota.